FAC FEA realiza mesa redonda no centenário de Paulo Freire

Curta! Compartilhe!

Uma mesa redonda sobre Paulo Freire, um dos maiores pedagogos brasileiros, será realizada nesta quarta-feira (22) pela coordenação do curso de pedagogia da FAC FEA (Faculdade da Fundação educacional Araçatuba) com participação da professora doutora Tatiana Pinheiro de Assis Pontes, da Universidade Federal de Minas Gerais. O evento será realizado para marcar o centenário de Paulo Freire, que foi comemorado no domingo (19).

O coordenador do curso de pedagogia da FAC FEA, professor mestre Luís Henrique Zago, explicou que a data não poderia passar em branco aos alunos do curso, por isso decidiu fazer a mesa redonda quer será aberta aos alunos e também à comunidade que tiver interesse. A professora Tatiana, pesquisadora sobre Paulo Freira, vai fazer uma fala sobre o educador.

A data escolhida foi em função da disponibilidade de agendada da convidada. A mesa redonda online será nesta quarta-feira (22) às 19h de modo virtual, e o link estará disponível no link https://meet.google.com/vop-qozw-yek

Serviço:

O Lugar de Paulo Freire na atualidade.
Quarta-feira, 22 de setembro · 19h até 22h
Informações de participação do Google Meet
Link da videochamada: https://meet.google.com/vop-qozw-yek

 

Quem foi Paulo Freire

Paulo Freire (1921-1997) foi um educador brasileiro, nascido no Recife (PE), inovador no ensino da alfabetização para adultos. Seus ensinamentos foram levados para diversos países.

Preocupado com o grande número de adultos analfabetos na área rural dos estados nordestinos, que formavam consequentemente um grande número de excluídos, Paulo Freire desenvolveu um método de alfabetização.

Sua proposta de ensino estava baseada no vocabulário do cotidiano e da realidade dos alunos: as palavras eram discutidas e colocadas no contexto social do indivíduo. Por exemplo: o agricultor aprendia as palavras, cana, enxada, terra, colheita etc.

Os alunos eram levados a pensar nas questões sociais relacionadas ao seu trabalho. A partir das palavras base é que se descobria novos termos ampliando o vocabulário.

A iniciativa do educador foi aplicada pela primeira vez em 1962 na cidade de Angicos no sertão do Rio Grande do Norte, quando foram alfabetizados 300 trabalhadores da agricultura em penas 40 horas de estudos. O projeto ficou conhecido como “Quarenta horas de Angicos”. Os fazendeiros da região chamavam o processo educativo de “praga comunista”.

Com o golpe militar de 1964, Paulo Freire foi acusado de agitador e levado para a prisão onde passou 70 dias. Em seguida, após ser libertado, se exilou no Chile.

Durante cinco anos desenvolveu trabalhos em programas de educação de adultos no Instituto Chileno para a Reforma Agrária.

Em 1969, Paulo Freire lecionou na Universidade de Harvard. Durante dez anos, foi consultor especial do Departamento de Educação do Conselho Municipal das Igrejas, em Genebra, na Suíça. O educador viajou por vários países dando consultoria educacional.

Em 1980, com a anistia, Paulo Freire retornou ao Brasil, estabelecendo-se em São Paulo. Foi professor da UNICAMP, da PUC e atuou como Secretário de Educação da Prefeitura de São Paulo na gestão de Luísa Erundina.

Por seu trabalho na área educacional, Paulo Freire foi reconhecido mundialmente. Ele é o brasileiro com mais títulos de Doutor Honoris Causa de diversas universidades. Ao todo são 41 instituições, entre elas, Harvard, Cambridge e Oxford. (Com informações: portal Ebiografia)


Curta! Compartilhe!

Deixe sua opinião